5 ameaças a cibersegurança para ficar de olho em 2018

5 ameaças a cibersegurança para ficar de olho em 2018

Em 2017, profissionais de TI e grandes organizações encararam uma grande ameaça de ataques cibernéticos. Com estratégias sofisticadas e quase imperceptíveis, hackers invadiram redes, tiveram acesso a informações de mais de 140 milhões de norte-americanos, pararam sistemas governamentais etc. E para o próximo ano as expectativas não são muito otimistas. Esperam-se ataques cibernéticos ainda mais agressivos e evoluções de vírus como o ransomware.

As empresas não têm muitas alternativas a não ser reformular os sistemas de segurança e reforçar as linhas de defesa. Acompanhe nosso post e conheça as principais preocupações com a cibersegurança que estão presentes em 2018:

Cryptojacking

O cryptojacking consiste na prática de utilizar os processamentos dos usuários para minerar criptomoedas. No final deste ano, foram registrados diversos ataques por meio dessa atividade e, para 2018, a tendência é que só aumente. Uma criptografia de mineração individual é capaz de minerar criptomoedas para sua própria carteira, com base nos visitantes de suas próprias propriedades na web. Também é provável que o cryptojacking substitua as publicidades dentro dos sites a fim de transformá-los em uma fonte de receita.

Ataques baseados em Powershell

O governo da Arábia Saudita teve entidades comprometidas utilizando Trojan de roubo de informações para infectar computadores. Em vez de recuperar uma carga útil binária, o ataque foi baseado em scripts mal-intencionados para manter a persistência no dispositivo e para se comunicar com sites comprometidos, atuando como proxies para o servidor de comando e controle. Ataques baseados em scripts, principalmente em PowerShell, são muito mais difíceis de identificar e podem facilmente evadir os mecanismos antivírus, o que chama muito mais a atenção dos cibercriminosos.

Cibercriminosos continuarão evoluindo

Para a decepção de muitos profissionais de segurança da informação, 2018 continuará na linha de 2017 com ataques cada vez mais agressivos. Hackers têm cada vez mais ferramentas para realizar ataques e os recursos do lado oposto ainda são poucos para prevenir invasões.

As divulgações nos meios de comunicação sobre ataques cibernéticos bem-sucedidos também incentivam o aumento desses casos e tornam o mercado cibercrimonoso cada vez mais lucrativo. Por isso, a probabilidade do número de ataques aumentar é grande e os hackers continuarão a aperfeiçoar seus serviços.

Softwares de segurança como alvo de hackers

Em 2018, espera-se que os cibercriminosos foquem esforços na exploração de vulnerabilidades dos softwares de segurança. Isso porque encontrando os pontos fracos de softwares confiáveis, o trabalho de invasão acaba se tornando muito mais fácil.

Hackers vão utilizar mais iscas para distribuir malwares

Neste ano, o WannaCry e o Trickbot utilizaram de iscas para espalhar malwares. E essa prática só tende a crescer, pois as iscas são capazes de espalhar o vírus muito mais rápido do que outros métodos. Com hackers identificando cada vez mais formas de contaminar redes de dados, não é pessimismo acreditar que 2018 pode ser um ano ainda mais crítico em relação à cibersegurança.

E essas previsões são apenas algumas das muitas ameaças que estarão presentes em 2018. Por isso, é importante não se acomodar e pensar que isso nunca vai acontecer com a sua empresa. As organizações precisam revisar suas linhas de defesas e criar políticas para todos os colaboradores a fim de que todos contribuam com a segurança.