O que aprender com o ataque a Equifax

O que aprender com o ataque a Equifax

No dia sete de setembro de 2017, a Equifax, empresa norte-americana de gestão de crédito, anunciou ter identificado um ataque em seu sistema e que os dados de mais de 140 milhões de consumidores estavam potencialmente comprometidos. Segundo a empresa, o ataque foi realizado entre maio e julho, deste ano, e identificado em 29 de julho.

Este é um dos maiores ataques já feitos nos Estados Unidos, por conta da quantidade de dados violados e pelo fato de que empresas de gestão de crédito contribuem com o processo de aprovação de financiamentos e outras formas de crédito e possuem informações pessoais importantes, como limite de crédito disponível, endereços, data de nascimento, número de seguro social e, em alguns casos, até de licença de motorista.

Empresas de gestão de crédito deveriam ter como prioridade a proteção dos dados pessoais dos consumidores. Considerando a importância dos dados que a Equifax possui, um protocolo de segurança para evitar o vazamento de dados pessoais é imprescindível para evitar problemas maiores, como os que a empresa enfrenta agora. Os consumidores não deveriam ter de se preocupar com a proteção dos seus próprios dados, pois eles confiam suas informações pessoais à empresa e esperam que as devidas providências sejam tomadas para que estes não sejam roubados.

Porém, quando o estrago já está feito, de nada adianta pensar no que poderia ser feito, mas, sim, encontrar soluções para que isso não se repita no futuro e que os consumidores não sejam ainda mais expostos do que já foram. A Equifax disponibilizou, assim que divulgou a informação sobre o ataque, um link para que os consumidores pudessem consultar se seus dados haviam sido expostos e ofereceu um ano gratuito de monitoramento de crédito aos que foram vítimas, assim, eles poderiam identificar tentativas de solicitação de crédito fraudulentas.

Ainda assim, é preciso estar atento a qualquer tipo de ataque direto, já que os hackers obtiveram os dados de contato dos clientes. Pelo o que foi divulgado pela empresa, os cibercriminosos não roubaram senhas, mas isso não é um motivo para se tranquilizar. Eles podem utilizar vetores de ataque, como o phishing, para obter informações complementares. Por isso, é extremamente importante ficar atento a quaisquer mensagens recebidas de bancos, cartão de crédito, financiadoras etc., pois cair em uma armadilha como essa, nesse momento de fragilidade, pode causar um estrago muito maior.

E esse alerta serve para consumidores de todo o mundo, não apenas às vítimas da invasão ao sistema da Equifax. O que se pode notar com as decorrentes notícias sobre ataques bem sucedidos é que qualquer empresa pode ser um alvo em potencial, e a maioria das organizações está vulnerável – e não se protege ou se prepara para lidar com as consequências de um evento como esse.

As pessoas também devem estar sempre atentas as suas informações e o que disponibiliza na internet. Para um hacker, qualquer dado pode ser valioso. Não é possível prever ataques como o da Equifax, mas existem algumas coisas que estão ao alcance de todos e que ajudam na proteção de dados, como definir senhas seguras, ser cauteloso ao acessar sites estranhos e manter os dispositivos e computadores sempre atualizados.