Por que as PMEs estão mais suscetíveis aos hackers?

Normalmente, ouvimos sobre ataques de hackers quando eles atingem uma grande e bem-sucedida empresa. Mas, diariamente, milhares de outras empresas menores são hackeadas e chantageadas sem que isso chegue aos jornais. Elas são pequenas para terem suas histórias contadas. 

Apesar do prejuízo aparentemente ser menor, o fato de pouca gente ouvir sobre invasões em empresas pequenas causa outro efeito colateral ainda mais danoso: o da suposta ideia de que essas pequenas empresas não correm nenhum risco. Na verdade, elas sofrem, perdem negócios, dinheiro e muitas chegam a pedir falência todos os anos sem que ninguém saiba. 

Apesar de uma loja, hotel, clínica médica não pareça que faça alguma diferença no mercado, é bom lembrar que são esses milhões de pequenos estabelecimentos que mantém a base da economia do país e exatamente por não chamarem atenção estão se tornando alvos fáceis de vilões cibernéticos que desejam criar o caos e, claro, ganhar alguns trocados sequestrando computadores e dados importantes. 

Mas, por que hackers resolvem atacar pequenas empresas? Simples, eles sabem que, usualmente, essas empresas estão desprotegidas, que não têm recursos ou conhecimento para proteger suas informações confidenciais ou simplesmente por confiar que jamais se tornarão alvos por serem pequena demais. Hackers também já perceberam que está cada vez mais difícil invadir uma grande empresa. 

A falta de atenção da mídia tradicional em relação a incidentes de segurança cibernética em empresas de pequeno porte também cria uma situação favorável aos hackers, pois ajuda a disseminar esse mito de que elas estão protegidas, mantendo seus gestores cegos e surdos até que acordem sem poder acessar as informações vitais para o negócio. E aí já é muito tarde para lamentar. 

As consequências de um ataque

De acordo com a Verizon, 58% das vítimas de violação de dados são pequenas empresas e a recuperação de um incidente pode ultrapassar os milhares de reais – não há um valor exato do custo para empresas de pequeno porte, mas, nos Estados Unidos, pode chegar, em média, a US$ 120 mil. E, obviamente, a empresa não é a única a sofrer com o ataque. Esses vazamentos afetam clientes, funcionários e até mesmo a economia. 

Juntas, essas pequenas empresas estimulam gastos, fortalecem a força de trabalho e criam uma base para que a economia, como um todo, prospere. Por outro lado, uma pequena empresa, se fechar as portas devido a um ataque hacker, não vai causar uma onda de pânico, mas, se milhares de pequenas empresas fecharem por esse motivo, apenas o número de desempregados é capaz de desestabilizar a economia de um país. Basta lembrar o caos causado pela onda de sequestros de computadores que ocorreu há alguns anos, em que os hackers exigiam o pagamento de um resgate para que as empresas voltassem a ter acesso às suas informações e sistemas. 

Mas, as pequenas empresas podem se proteger melhor contra essas ameaças: 

  • Eduque seus funcionários e você mesmo sobre estratégias de segurança 
  • Crie senhas melhores e aprenda a identificar e-mails maliciosos 
  • Pesquise os recursos de segurança dos serviços utilizados pela empresa 
  • Monitore dispositivos pessoais e outros dispositivos quanto a violações de segurança 
  • Implemente planos de contingência para impedir ameaças e poder se recuperar rapidamente 
  • Busque ajuda em empresas especializadas para monitorar e proteger sua empresa contra-ataques 

Não se deixe levar pela falsa sensação de segurança apenas por sua empresa ser de pequeno porte. Aprender a proteger suas informações e informações dos seus clientes é essencial para os negócios.